Retirado de: Blog Moh Legal

Na FATEC de São Paulo (unidade da Tiradentes), a turma dos calouros do curso mais concorrido (Análise e Desenvolvimento de Sistemas, noturno), tem aproximadamente oitenta alunos. Para que as aulas fiquem mais produtivas, alguns professores dividem a classe em duas turmas de quarenta alunos. Nas aulas de terça-feira, enquanto uma Turma A assiste aula na sala 1, a Turma B assiste na sala 2.

Isso numa semana… Porque na semana seguinte muda tudo, a Turma A vai pra sala 2 e a Turma B vai pra sala 1.

Daí você me pergunta: Por que essa rotatividade?

E eu lhe respondo: Porque no curso mais concorrido da FATEC de São Paulo, uma das instituições mais antigas e renomadas do Brasil, temos que fazer um revezamento de sala para que o professor use o único data-show disponível, ou sendo mais especifico, nas terças não há duas salas com um computadorzinho e um projetor de imagens.

E o pior é que se fosse só isso as coisas estariam boas, pois alguns dos prédios da FATEC Tiradentes estão caindo aos pedaços, o principal deles é da década de 30, e precisa urgentemente de reformas.

Eu presencio isso e me pergunto como é que o governo ainda tem coragem de fazer discursos dizendo que investe nas FATECs do estado, se eles não sedem sequer verbas suficientes para se comprar as estruturas básicas e mínimas para se lecionar uma aula decente?

Como estudante de lá, eu vejo claramente que o que eles divulgam na opinião pública é pura deturpação dos fatos.

Há anos o Alckimin e atualmente o Serra vão à publico e dizem: “Dobramos, triplicamos, quadruplicamos, o numero de FATECs no estado de São Paulo”. E eu digo “Grande coisa, pois de que adianta abrir um monte de FATECs e não disponibilizar verbas para mante-las?”.

Estudar num prédio caindo aos pedaços e ter que revesar a sala de aula só pra ter acesso a um data-show, é ou não é um descaso com o ensino público?

Anúncios