Tag Archive: cidadania


Tião Santos, representante de catadores de aterro tema de documentário indicado ao Oscar, se divide entre entrevistas e mobilização dos colegas

27 de janeiro de 2011 | 0h 00
por Roberta Pennafort – O Estado de S.Paulo

Eleito pelo artista plástico Vik Muniz “embaixador de Gramacho”, Tião Santos, de 32 anos, uma vida inteira chafurdada no lixo despejado naquele que é o maior aterro sanitário da América Latina, promete: se Lixo Extraordinário – o filme que coestrela com o artista e seus companheiros catadores – ganhar o Oscar de melhor documentário, “vai ser o maior mico de todos os Oscars”. Maior até do que o do diretor italiano Roberto Benigni quando venceu A Vida é Bela.

“Sou emotivo. Vou dar um grito, acompanhado de choro. Tenho certeza que vamos ganhar”, justifica Santos, presidente da Associação de Catadores de Material Reciclável de Jardim Gramacho, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.

Gregário, articulado e engajado até o último dreadlock, leitor de Nietzsche, Maquiavel e Dan Brown, o futuro sociólogo (ainda vai terminar o Ensino Médio, mas já pensa na universidade), parece um líder natural, aos olhos de quem o observa em ação.

Ontem, depois de dar oito entrevistas, motivadas pelo anúncio da indicação do filme dos diretores João Jardim, Karen Harley e Lucy Walker (esta, inglesa) ao maior prêmio do cinema, e de posar para o Estado sobre uma montanha de plástico já separado, o presidente da associação conduziu uma assembleia com cerca de cem catadores.

No galpão da entidade, num calor inimaginável, enxugava o suor da testa com a camiseta enquanto tentava conscientizar a plateia sobre a importância da união da categoria. Fundamental neste momento de desativação do aterro, que torna iminente a perda de trabalho para 2,5 mil pessoas, diretamente, e 7 mil, indiretamente (os comerciantes das redondezas), nas contas dos próprios. Consegue-se chegar a R$ 1,2 mil mensais, segundo contam.

“Lá fora, a coleta se deu pela questão ambiental; aqui, foi pela exclusão social”, diz Santos, com a experiência de quem já observou de perto o sistema alemão, espanhol e sul-coreano – viajou graças à circulação do filme, premiado nos festivais de Berlim e Sundance.

“O governo acha que somos uma cambada de idiotas. Não pode fechar e acabou”, diz Santos. “Precisamos de uma proposta. São famílias inteiras, com taxa de natalidade de quatro, cinco filhos, e senhoras que trabalharam a vida toda e precisam de uma aposentadoria”, explica o catador.

Origem. As filmagens foram há três anos. A ideia de Vik, artista conhecido pela utilização de materiais não convencionais em suas obras, era montar uma série de quadros a partir de objetos coletados no aterro, usando os catadores como assistentes e filmando todo o processo. “O que mais me impressionou foi a determinação, o empreendedorismo deles. Não quero endeusar ninguém, mas eles conseguem isso mesmo em um ambiente inóspito daqueles”, conta o diretor João Jardim.

Ninguém ali imaginava que chegaria tão longe. “Antes a gente não tinha voz; agora, estamos falando para o mundo todo”, orgulha-se José Carlos Lopes, o Zumbi, catador desde criança.

“Nós inventamos uma profissão. É insalubre, mas é melhor do que passar fome. Quando anunciam que vão fechar uma fábrica da Volkswagen, todo mundo se mexe. Se é aqui, ninguém fala nada”, lamenta Glória Santos, irmã de Tião. Desde que ele ganhou fama, por conta da parceria com Vik – cujo resultado foi visto também na abertura da recém finalizada novela Passione -, ela faz as vezes de sua assessora de imprensa.

É Glória quem adverte, logo na chegada da reportagem, repetindo a frase-chave do irmão: “Não somos catadores de lixo, e sim de material reciclável. Quem cata lixo é visto como lixo.” Os dois há anos já não estão no aterro – ficaram na parte administrativa da associação.

O sonho agora é que a Companhia Municipal de Limpeza Urbana (Comlurb), da capital fluminense, de onde chegam milhares de toneladas de dejetos diariamente, leve a cabo os fundos prometidos para amparar os futuros desempregados.

Fonte: estadao.com.br

Anúncios

Política nacional para destinação de resíduos prevê multa de até R$ 500 para quem não cumprir a orientação. Mas antes os municípios terão de levar coleta seletiva para todos os bairros

por André Rosa – Diário de São Paulo

Um ato hoje praticado espontaneamente por cidadãos com consciência ambiental passará a ser uma exigência da lei. Pela Política Nacional de Resíduos Sólidos, oficializada num decreto presidencial assinado pelo então presidente Lula a uma semana do fim do mandato, quem não separar o lixo seco do orgânico corre o risco de ser multado em até R$ 500. Além de uma mudança de comportamento à população, a resolução impõe corrida às prefeituras, a quem caberá fiscalizar a medida.

De acordo com lei, os municípios terão até 4 anos para instituir o programa de coleta seletiva, com a separação e destino correto de todo o material reciclável ou não. Em São Paulo, dos 96 distritos da capital, 74 são atendidos pelo programa de coleta seletiva da Prefeitura. “A lei foi sancionada em agosto, portanto os governos estaduais e municipais já poderiam ter começado a elaborar planos de separação do lixo. Não precisam esperar a conclusão  do plano nacional, que levará seis meses, em média, para estar concluído”, afirmou o diretor de Ambiente Urbano da Secretaria Nacional de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano do Ministério do Meio Ambiente, Sérgio Gonçalves.

Ele explica que todo material que não for possível ser reciclado ou receber tratamento adequado deverá ser encaminhado aos aterros sanitários e não mais aos antigos lixões. “Os órgãos estaduais e municipais devem estipular que o cidadão separe, pelo menos, resíduos secos e úmidos. Para isso, tem que haver fiscalização com advertência e, se necessário, a aplicação de multas”, conta o diretor.

Segundo a Prefeitura, desde 1974 os resíduos produzidos nas residências são levados para aterros sanitários. A cidade gera, em média, 17 mil toneladas de lixo diariamente, entre resíduo residencial, hospitalar, restos de feiras, podas de árvores, material proveniente de limpeza de rua, entulho, entre outros materiais.

Só de resíduos domiciliares, informou o órgão, são coletados quase 10 mil toneladas por dia. Deste total, apenas 20% são passíveis para reutilização, isto é, lixo que pode ser reaproveitado ou reciclado. Outros 20% são rejeitados e encaminhados aos aterros sanitários, mesmo destino dos 60% restantes, que são compostos de material orgânico.

Ecopontos / Quem precisar descartar objetos sem serventia como móvel velho, madeira ou até  alguns restos de construção civil pode encaminhar para os Ecopontos. Atualmente, há 41 unidades em funcionamento espalhadas por toda a capital paulista. Para mais informações acesse o site da Prefeitura:  http://www.prefeitura.sp.gov.br

As punições

1 Advertência.

2 Multa entre R$ 50 e R$ 500

3 Serviços de preservação, melhoria e recuperação da qualidade do meio ambiente

Edifício Copan faz parte da própria coleta seletiva

Um dos edifícios mais marcantes da região central, o Copan, está entre um dos  22 distritos da capital que não são atendidos pela coleta seletiva de lixo da Prefeitura. “Aqui, contamos com a colaboração de parte dos cinco mil moradores dos 1.160 apartamentos que separam o próprio lixo”, explica o síndico Affonso Oliveira. É no subsolo que os funcionários do prédio separam os resíduos para a coleta feita por ONGs. “Pagamos para recolher o material”, revela o síndico, que também coleta  pilhas velhas nas portarias de cada um dos 6 blocos.

Empresas terão que se adequar a nova lei

A lei responsabiliza também as empresas pelo recolhimento de resíduos descartáveis (logística reversa) provenientes dos produtos que elas colocam no mercado. Há ainda a possibilidade de a empresa indicar ao consumidor o local correto para o descarte do produto descartável.

Prefeitura amplia multa para R$ 12 mil
No ano passado, foi assinada uma lei em São Paulo que aumentou o valor da multa para quem descartar entulho ou qualquer outro resíduo, acima de 50 kg, irregularmente em via pública. A pena que era de R$ 500 foi para R$ 12 mil.

74
dos 96 distritos de São Paulo recebem a coleta seletiva

No estado, volume soma 30 mil toneladas
De acordo com a Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb), em todo o estado, a estimativa de geração de resíduos domésticos por dia chega a 30 mil toneladas.

Fonte: Diário de São Paulo

Anteontem chegou minha carta de motorista, que com meu esforço proprio, e com meu proprio suor, consegui tirar nesses meses. E ontem pela primeira vez sai com dirigindo um carro sozinho. Fico pensando, nessas pessoas imprudentes que dão na mão de um filho ou filha um veiculo com motor que contenha um motor e a potencia de seus cavalos, na rua sem habilitação, é mesma coisa de dar uma arma na mão de quem não sabe usar, o que aconte é que a pessoa pode dar um tiro no proprio pé, já um atirador não erra o alvo e não vai atirar de facilmente no seu proprio pé, ou seja, é mais facil um pessoa que não possua a CNH bater um carro, moto, etc. do que uma pessoa que já tem um veiculo bater. O pior é que tem gente que consegue tirar a CNH e não tem a minima noção do que está fazendo no transito, estacionar e/ou parar um veiculo num lugar que impossibilite a passagem de outro, é burrice mesmo, e uma falta de noção de espaço (o que me reflete a pensar na quantidade de pessoas que subornaram o delegado para passar no exame). Nesses dias, me lembro do caso de um moleque de 17 anos que pegou uma moto “emprestada”, sem ninguem saber, e foi a cidade vizinha para dar uma voltinha. Quando retornava o moleque morreu. E com certeza pode se estar pensando: “não tenho CNH, mas nada vai acontecer, não vou bater em ninguem dirigindo, não há risco de morte…”, digo que com certeza estes pensamentos foi talvez tenha se passado com aquele rapaz, se acha que ele queria morrer? Com certeza não. E aqueles moleques bobocas que andam na contramão de direção dos veiculos, usando uma bicicleta, todo mundo sabe que existe uma mão de direção (e é a mesma pra todos os veiculos, motorizados ou não), então não é só questão de prestar atenção no que a gente faz, e ter responsabilidade por nós mesmos, temos que olhar para os outros, porque o outro pode não prestar atenção, e ser irresponsavel, mas temos o cuidado de não fazermos o mesmo.

Que isso! Você deve estar se perguntando, e outros mais indignados com certeza! Calma eu explico. Nesse país chamado Brasil dizem que o povo é ignorante e isso, e aquilo, mas na verdade, o povo em sua maioria tem acesso as infomações como panfletagem, com folhetos, cartazes e outros meios de comunicação. E porque tem dengue e outras doenças infecto-contagiosas nesse país, ás vezes com verdadeiras epdemias? Vou usar o exemplo da dengue. Simplesmente, acontece de o povo ser negligente, dizer pra si mesmo “isso não vai acontecer comigo”, ou ainda: “isso só acontece com os outros”, com certeza é por causa disso que as coisas acontecem, já ouvi relatos de quando os fiscais da dengue entram nas residências das pessoas, orientarem os cidadãos(falando ao vento, palavras que entram de um lado do ouvido e saem pelo outro), entregarem os folhetos explicativos, saírem e ao dar as costas, os folhetos já estão jogados ao chão, voando com a ventania, o povo é lógico, não pode ser chamado de burro, porque isso ofende os bichinhos com o mesmo nome, é muito mais do que isso, ele é negligente ao extremo, não se importa com o próximo, nem com ele mesmo. O povo não é burro, nem ignorante, apenas se faz de tal, mas na maioria das vezes os povo gosta de sofrer sem necessidade. Inteligência é algo que você, que eu, que todo mundo tem, é só colocar os neurônios para funcionarem, porque se fizessem isso, muita coisa já tinha mudado, com toda certeza.

Pessoal tem uma entidade que precisa de doações. Está precisando verdadeiramente de doações. Tambem necessita de leite, para suas crianças, quem puder mandar pra lá um litro de leite ao menos, por favor mande, o endereço da Instituição é o que seque abaixo:

Praça Coronel José Pires, 70 – Centro – São João da Boa Vista – SP.

E também quem quiser fazer uma contribuição em dinheiro, pode fazer através de depósito bancário:

Depósito Bancário na Caixa Econômica Federal
Agência: 349
C/C: 03.263-4
São João da Boa Vista-SP

Para maiores informações entre no site da instituição clicando na imagem:

Desempregado!

Hoje é mais um dia para mim e muitos brasileiros, estando desempregado juntamente com mais de milhares de brasileiros, eu fazendo faculdade devendo pra caramba o dinheiro que não tenho, e como muitos desse país, rezo, peço a Deus que me ajude. E o pior é que apesar de as vezes aparecer uma vaga de emprego sempre pedem experiência, como é que alguem aqui na minha cidade pode ter experiencia sem trabalhar? E como se isso somente não bastasse, tem muita gente que pensa “Vou para a cidade de…”(seja lá qual for)”…lá ouvi dizer que tem emprego…”, se tivesse com certeza mais da metade das pessoas da cidade estaria trabalhando. Eu posso dizer que quem não estuda hoje com certeza não arranja emprego, porque eu estou estudando e estou desempregado faz um bom tempo, mas não posso desanimar(AH! E eu estou fazendo Informatica Sistemas de Informação). Queria ter um emprego ao menos pra poder pagar as contas que estou devendo e que virão. Eu queria uma oportunidade de provar meu valor (e quem não quer), mas fica a esperança, e que seja ela a última a morrer mesmo, e que se morrer, que morra depois de mim.