Tag Archive: software livre


Por Filipe Albuquerque

Entre os dias 31 de agosto e 1 de setembro, acontece pela primeira vez no Brasil a LinuxCon, maior conferência em Linux do mercado internacional. O evento vai reunir as principais mentes do universo Linux para discutir tendências, soluções e inovação, com keynote de abertura de Linus Torvalds, criador do Linux, que vem ao país pela primeira vez.

A LinuxCon Brasil traz desenvolvedores da comunidade, administradores de sistemas, executivos de negócios e especialistas em infraestrutura de TI para discutir os desafios e sucessos do Linux no mercado corporativo e trocar experiências. Com quatro tracks especializados, a programação traz conteúdo específico para os mais diversos públicos – de CIOs a desenvolvedores de software. Os keynotes trarão executivos e especialistas de empresas como Canonical, Intel, Microsoft, Citrix/Xen e Google, entre outros.O evento é organizado pela Linux Foundation e pela Linux New Media do Brasil.

Xen Directions South America 2010
O Xen Directions, evento paralelo que acontece dentro da LinuxCon, vai trazer os melhores profissionais em infraestrutura de Cloud Computing no mundo e contará com diversas palestras relacionadas aos principais modelos de atuação desse ramo, a fim de compartilhar conhecimentos e experiências da área.

Inscrições com desconto
Até esta sexta-feira (13/08), as inscrições para a LinuxCon Brasil 2010 estão com desconto promocional de R$ 100,00. Os interessados podem se registrar no site oficial do evento. Estudantes possuem a opção de meia entrada. Os participantes de fora da cidade de São Paulo também podem de usufruir de descontos em hotéis parceiros do evento.  Para saber mais sobre acomodações, clique aqui.

Serviço: LinuxCon Brasil 2010
Datas: 31 de Agosto e 01 de Setembro de 2010
Local: Sheraton São Paulo WTC Hotel – Avenida das Nações Unidas, 12559
Inscrições: aqui ou clique na imagem abaixo.

Fonte: pcmag.com.br

Anúncios

Por Tatiana de Mello Dias

98% das empresas usam algum tipo de software open source. O número vem de uma pesquisa da empresa Zenoss, que perguntou a mil pessoas presentes em uma conferência sobre administração de sistemas e em uma comunidade open source.

Entre os entrevistados, o índice de satisfação com os softwares livres foi de 7 a 8 em uma escala de 10. Dos 76% deles disseram que, em suas empresas, a política é a de adotar o open source sempre que possível. O software livre não é utilizado, na maioria dos casos, pela falta de documentação e suporte.

Claro que, ao analisar os dados, deve-se levar em conta que parte dos entrevistados são, de certa forma, relacionados ao software livre e isso pode prejudicar um pouco o resultado. Mas, de qualquer maneira, a pesquisa deu origem a um infográfico que mostra um pouco sobre o perfil de adoção do open source nas empresas:

opensource_zenoss_infographic

Retirado de estadao.com.br/link

Por Redação Link

Rob Pegoraro, do Washington Post

Sem vírus do Windows. De graça. Como um sistema operacional com essas virtudes – típicas do código aberto Linux – pode permanecer confinado a uma pequena minoria de computadores e notebooks dentro de casa?

Isso mudará logo? Uma nova versão da edição do Linux voltada para o consumidor, o Ubuntu 10.04, dá esperanças para aos otimistas, mas também deixa espaço para os que duvidam.

A interface para desktop do Ubuntu 10.04 não deveria parecer tão estranha para usuários do Windows. Seu menu “Iniciar” equivalente fica no canto superior esquerdo em vez de estar no inferior esquerdo. Além disso, há muito pouco que faça você se perder.

Sua versão para netbook é outra questão. Em vez de apertar uma interface inalterada de desktop em uma tela pequena – veja, por exemplo, a frustrante edição de estreia do Windows 7 da Microsoft –, ele apresenta pastas e programas em grandes ícones agrupados de forma que vagamente se assemelha com a tela inicial do iPhone.

A versão 10.04 adiciona um widget de comunicação social que permite acompanhar conversas no Twitter e no Facebook na mesma janela e um serviço no Ubuntu One Web que sincroniza anotações e alguns outros arquivos entre dois notebooks.

O Ubuntu não inclui o lixo que é padrão nos novos PCs do Windows. Mas ele deixa de fora duas coisas que o usuário de Windows com certeza espera: suporte embutido para formatos comuns de arquivos de mídia e para todas as partes do seu computador.

Comparado com o Windows XP e o 7, o Ubuntu 10.04 desliga muito mais rápido, mas precisa de mais tempo para adormecer e acordar e diminui a vida útil da bateria.

Embora o novo lançamento precise de menos acertos que o anterior, especialmente em um PC mais antigo, ele ainda não é para todo mundo. E quando é que isso já foi o caso do Windows?

Fonte: www.estadao.com.br