Tag Archive: governador


por Ojuara Tiradentes Anonymous

 

No Brasil a qualidade do ensino das escolas é ruim, correto? Esta afirmação está parcialmente correta, mas também está parcialmente errada.

Aí você me pergunta, como pode estar uma afirmação certa e errada ao mesmo tempo? Calma, eu já vou explicar logo abaixo.

Primeiramente existem quais tipos de escolas e quem as mantêm? Existem atualmente as escolas particulares, das quais são mantidas por dinheiro de particulares que pagam do próprio bolso e as escolas públicas financiadas e mantidas pelo dinheiro dos impostos que pagamos. Das escolas públicas, podemos subdividir em escolas geridas independentes por município, por estado e pelo governo federal.

Resumindo, então temos:

  • Escolas particulares (mantidas por particulares, de investimento privado);
  • Escolas públicas (que são mantidas com o dinheiro dos impostos pagos por todos nós brasileiros, com dinheiro público).

Das escolas públicas, temos a seguinte divisão:

  • Escolas municipais (mantidas por uma prefeitura com verba da própria cidade, do qual é responsabilidade direta do prefeito da cidade ao qual pertence).
  • Escolas estaduais (mantidas pelo governo de um dos estados da federação, que é de responsabilidade direta do governador do estado ao qual pertence).
  • Escolas federais (mantidas pelo governo federal, que é de responsabilidade direta do presidente da república do nosso país).

As escolas particulares são ótimas, onde os professores são valorizados, há possibilidade de progressão de carreira, o ensino é forte.

As escolas municipais, cada uma delas tem um estatuto definido pelos municípios ao qual pertencem, então é difícil tratar de forma genérica, variando a qualidade do ensino de cidade para cidade, de escola para escola.

As escolas estaduais (que são em grande maioria massiva no nosso país), são escolas consideradas de médias a péssimas, dependendo do estado onde se encontram, não há uma valorização dos professores e estes não possuem qualquer incentivo de progressão de carreira, além do ensino deixar muito a desejar na maioria delas.

As escolas federais (que tem aumentado em quantidade com o passar dos anos), são escolas excelentes, os professores são valorizados e possuem progressão de carreira, o ensino é forte.

Em escolas onde há progressão de carreira para os professores, estes são incentivados a estudarem e a melhorem cada vez mais, permitindo que assim suas aulas estejam cada vez melhores com o passar do tempo, em consequência disso, o ensino poderá melhorar cada vez mais.

Então caros leitores, se vocês querem culpar alguém por uma qualidade de ensino ruim, culpem os verdadeiros culpados. Não adianta nada arrancar um presidente do poder e manter o mesmo governador de antes ou o mesmo prefeito de antes. Lembrem-se que a maioria das escolas públicas são de responsabilidade dos governos dos estados em que estão, portando se vocês querem culpar alguém por uma qualidade ensino ruim, culpem o governador do seu estado, pois este de fato é responsável por ela.

E não se esqueçam de que os governos dos estados são independentes, ou seja: cada um trabalha sem a intervenção direta do governo federal.

 

Anúncios
?????????????????????????

Após áudio vazado da Sabesp, oposição estuda pedir impeachment de Alckmin

Para deputados, houve uso político da crise hídrica por parte do governador e “prevaricação” de Dilma Pena. Caso pode parar no Ministério Público. “Isso é muito grave. Ele não está apto para ocupar o cargo”, afirmou Carlos Giannazi (PSOL), comentando áudio divulgado por Fórum

Por Igor Carvalho (http://spressosp.com.br)

Nesta sexta-feira (24), o Blog do Rovai divulgou, com exclusividade, áudios de uma reunião em que a presidenta da Sabesp, Dilma Pena, admite o “erro” de não comunicar à população sobre a crise hídrica vivida no estado. Na reunião, a dirigente afirma que recebeu ordens de “superiores” para que não se falasse sobre o assunto.

Na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp), a oposição entende que há motivos para que Geraldo Alckmin (PSDB) deixe o governo do estado. “Vamos estudar a possibilidade do pedido de impeachment do governador, isso é muito grave. Ele não está apto para ocupar o cargo”, afirmou o deputado Carlos Giannazi (PSOL).

Alencar Santana (PT), que preside a Comissão de Infraestrutura da Alesp, também cogita a possibilidade de impeachment. “Se essa ordem ‘superior’ for do Alckmin, eu entendo que é possível juridicamente isso. Precisamos que a população de São Paulo assim queira, também”, disse o parlamentar, que explicou quem pode ser o ‘superior’ de Dilma Pena.

“Só pode ser da cúpula do governo, porque é a presidenta da Sabesp quem diz, e acima dela só o governo de São Paulo e sua cúpula.” Para Alencar, o áudio revelado por Fórum mostra que a decisão de omitir a crise foi para não prejudicar a candidatura de Alckmin à reeleição. “Se ela afirma que precisava ser comunicado, houve um entendimento técnico da medida. Se não foi feito, é porque a orientação que ela recebeu foi política. Temos aí dois crimes, estelionato eleitoral do governador e prevaricação de Dilma Pena.”

Para o deputado Luiz Cláudio Marcolino (PT), a possibilidade de impeachment tem que ser estudada. “A Dilma terá que vir na Alesp e se explicar. Se a ordem ‘superior’ foi do Palácio dos Bandeirantes, nós temos que tomar providências.”

O “deboche” da presidenta da Sabesp, em recente depoimento à CPI da Água na Câmara Municipal de São Paulo, foi lembrado por Marcolino. “Ela já demonstrava, ali, que não estava tratando o assunto com a dimensão que merece. Isso é um desrespeito com a população.”

Giannazi afirmou que vai procurar o Ministério Público. “O peso da lei deve recair sobre o governador e a Dilma [presidenta da Sabesp]. A água é um bem público, não se pode brincar com ele por conta de benefícios eleitorais”, afirmou o parlamentar do PSOL, que lamentou que a presidenta da Sabesp chame os paulistas de “clientes”. “Isso mostra como está a mentalidade deles.”

Confira os áudios:

Dilma Pena

Paulo Massato

Fonte: http://spressosp.com.br/

Será realizado hoje o primeiro embate entre os candidatos ao governo de São Paulo. O debate da Band, às 22h, precede outros cinco que serão realizados até o primeiro turno da eleição.

Seis candidatos foram convidados pela Band. Geraldo Alckmin (PSDB) e Aloizio Mercadante (PT), os mais bem colocados nas pesquisas de intenção de voto até o momento, sentarão lado a lado. Além deles, também participarão Celso Russomanno (PP), Paulo Skaf (PSB), Paulo Bufalo(PSOL) e Fábio Feldmann (PV). A mediação será feita pelo jornalista Boris Casoy.

Além da Band , a rede Gazeta, a Folha de S. Paulo, a TV Record e a Rede Globo também deverão realizar debates entre os candidatos a governador. A Rede TV!, o SBT, a MTV e o portal da revista Veja também negociam a organização de encontros junto às campanhas.

Além do estado de São Paulo, serão realizados simultaneamente debates com candidatos no Distrito Federal e nos Estados da Bahia, Paraná, Minas Gerais, Rio Grande do Norte, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Tocantins, Amazonas, Santa Catarina, Espírito Santo, Pernambuco e Mato Grosso.

Fontes:

ultimosegundo.ig.com.br , band.com.br , noticias.r7.com